Menu

SES-GO utiliza sistema próprio para monitoramento de focos do Aedes aegypti

09 set 2016 | Notícias

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) utiliza, a partir deste mês, um sistema próprio para o monitoramento dos focos de Aedes aegypti e das ações de combate ao mosquito no Estado. O novo sistema foi desenvolvido pela Gerência de Tecnologia da Informação (GTI) e pela coordenação de TI do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde – Conecta SUS Zilda Arns Neumann, em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar (CBM-GO), e tem como fundamento o georreferenciamento.

O SIMAZ (Sistema Integrado de Monitoramento do Aedes Zero) foi baseado em software open source (código aberto), ou seja, sem custos de aquisição. Isso significa economia, já que a versão mais completa do ArcGIS, sistema que vinha sendo utilizado, custa em torno de R$ 880 mil, além dos valores cobrados para atualizações.

Outro ponto positivo é a possibilidade de desenvolvimento e ampliação de funcionalidades, relatórios personalizados, auditoria e acesso direto à base de dados, controle de acesso e segurança da informação. O novo sistema possibilita uma visão macro dos municípios, fornecendo informações como, por exemplo, regiões com maior nível de infestação. Com um simples clique, também é possível ter acesso aos dados por quadra.

Por meio do SIMAZ, serão acompanhados os seguintes indicadores: Número de Imóveis Visitados; Número de Imóveis Trabalhados; Número de Imóveis Fechados; Número de Imóveis com Foco; Número de Imóveis com Visitas Recusadas; Número de Imóveis com Visitas Recuperadas; além das porcentagens de imóveis trabalhados, fechados, com foco e visitas recusadas.

A gerente de Tecnologia da Informação da Secretaria de Estado da Saúde, Luiselena Luna Esmeraldo, destaca que a visão georreferenciada dos municípios possibilita melhor percepção e gerenciamento dos dados. “As informações disponibilizadas permitem ao gestor um processo de decisão mais ágil e abrangente no que diz respeito às ações para erradicação do Aedes. Outro ponto muito importante em relação ao georreferenciamento é que o cidadão pode acompanhar em tempo real como está o controle de focos do Aedes em sua vizinhança.”

O Comandante de Operações de Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, Coronel Múcio Ferreira dos Santos, ressalta que o SIMAZ traz inovações em relação ao sistema usado anteriormente. “Aproveitamos o know how desses primeiros seis meses de atividades para repassar à equipe de Tecnologia da Informação da SES-GO quais aspectos deveriam ser aprimorados neste novo sistema. Entre estes, a inserção de dados que irão facilitar a identificação dos locais onde os focos são encontrados.”