Menu

Ferramenta auxilia Estado e municípios na gestão em saúde

19 maio 2016 | Notícias

O Mapa da Saúde de Goiás permite melhor planejamento das ações e serviços em saúde e pode ser acessado por qualquer pessoa para acompanhamento das ações

 

Através de um link disponível no site da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) e profissionais da área encontram uma série de informações que podem auxiliá-los na avaliação, planejamento e execução de ações e serviços em saúde. É o Mapa da Saúde, que também pode ser acessado por qualquer pessoa, ajudando a população a entender e acompanhar as ações adotadas no Estado.

O Mapa foi instituído pelo Ministério da Saúde (MS) pelo Decreto nº 7.508, de junho de 2011. A ferramenta reúne mapas e gráficos com informações relativas a diversos indicadores em saúde, além da distribuição de recursos humanos, ações e serviços ofertados pelo SUS, rede conveniada e iniciativa privada. Esses dados permitem o desenvolvimento de estratégias para ampliar o acesso da população ao Sistema Único de Saúde; melhorar a resolubilidade, autonomia e potencialidade das ações; além de promover a garantia dos direitos dos cidadãos.

No Mapa da Saúde de Goiás, podem ser encontradas informações demográficas condicionantes ou determinantes em saúde, como sexo e faixa etária da população, índice de pobreza e cobertura de saneamento básico; e também dados relativos à capacidade instalada, oferta e cobertura do sistema de saúde, como por exemplo, número de leitos por habitantes, média de permanência hospitalar, quantitativos de leitos de UTI, proporção de internações por condições sensíveis à atenção básica, equipamentos, cobertura vacinal, serviços especializados, atenção de saúde bucal, atendimento móvel de urgência e pronto atendimento.

Podem ser acessados, ainda, dados referentes às Redes de Atenção Prioritárias; índices de morbidade e mortalidade, faixa etária e causas; fluxos de internação hospitalar para procedimentos de média e alta complexidade; recursos financeiros; informações referentes à ciência, tecnologia, produção e inovação em saúde; localização e abrangência dos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CERESTs); entrega dos relatórios anuais de gestão, além de dados relativos à implantação de ouvidorias nos municípios e concentração de demandas registradas.

O Mapa da Saúde de Goiás é desenvolvido pela Assessoria de Informação em Saúde em parceria com as superintendências da SES-GO. Fazem parte da equipe os técnicos Alan Kardec de Lima Filho (coordenador), Raphael de Oliveira Araújo, Pedro Vaz Neto e Sônia Maria de Moraes e Silva (coordenadora da Rede Interagencial de Informações para a Saúde – RIPSA).

O coordenador da Assessoria ressalta que há informações ainda em construção e que o Mapa é dinâmico, podendo ser modificado de acordo com as necessidades da saúde pública. “Quando percebemos, por exemplo, que informações não são utilizadas ou são pouco acessadas, avaliamos com as regionais e os municípios a possibilidade de retirar esses dados e acrescentar outros de maior utilidade. Isso é feito de forma conjunta.”

Alan Kardec explica que os dados são obtidos através de Sistemas de Informação em Saúde (SIS), principalmente: Informação sobre Mortalidade (SIM), Nascidos Vivos (SINASC), Informações Ambulatoriais (SIA), Informações Hospitalares (SIH), Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização, Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA), Sistema de Informação do Câncer (SISCAM), Sistema de Pactuação de Indicadores (SISPACTO), Fundo Nacional de Saúde, Sistema de Apoio à Construção do Relatório de Gestão (SARGSUS) e Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN).

O coordenador da Assessoria de Informação em Saúde destaca a importância do Mapa no sentido de auxiliar os gestores municipais na avaliação da gestão em suas cidades. “O gestor municipal pode usar esta ferramenta para verificar o perfil epidemiológico da população, as principais causas de mortes, os números do acompanhamento pré-natal, de sífilis congênita, de mortalidade infantil e materna, e a cobertura da Estratégia Saúde da Família na cidade. É possível inclusive saber quanto o município recebeu da União.” Alan informa que existem outros links no portal da SES-GO, como em Transparência, onde o gestor municipal pode ter acesso também aos valores repassados pelo Estado para cada programa.

O coordenador comenta ainda sobre a utilização do Mapa da Saúde de Goiás para a pesquisa científica. Ele explica que a ferramenta pode fornecer informações, mapas, gráficos e tabulações de indicadores que abrem um grande leque de análise e pesquisa para as universidades. “Para fazer análise de situação em Saúde é preciso uma interação de indicadores. Os dados e mapas podem fornecer pelo significativo menu de informações georreferenciadas disponíveis. Por outro lado, as pesquisas podem ser usadas em favor da população e retornar para SES-GO como fonte de conhecimento para melhoria da gestão.”